Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, novembro 5

Chips atrás do pescoço

Bem interessante o artigo da revista 'Visão' desta semana sobre o uso (descontrolado) do telemóvel. Parece que uma grande maioria não se consegue desligar e até fica mentalmente (e sentimentalmente) perturbado se não está permanentemente ligado. E até já há nomes técnicos para estas doenças modernas. Enfim.
Lembrei-me logo de algumas situações. Uma antiga colega que há vários anos já não consegue viver sem ligação ao mundo virtual. Aliás, começou a circular a piada entre nós sobre o facto de antes de um 'olá' ou 'bom dia' vir sempre um 'tem wifi?'
Neste artigo é também dito que nalguns países já é legalmente proibido importunar as pessoas fora dos horários de trabalho, quando me parece que o simples bom senso chegaria...
E voltando às memórias... uma antiga superiora que tinha por passatempo ligar-me em todas as folgas para perguntar se tinha feito tudo o que era suposto (mesmo perante relatórios escritos) e ainda outra que achava despropositado eu estar na praia durante as minhas férias (e sobretudo numa altura muito complicada a nível pessoal).
Felizmente ainda existem zonas sem rede e os sagrados botões 'off'. Mas em breve vamos ter todos chips atrás do pescoço, como nos 'Ficheiros Secretos', e aí sim vai ser uma grande chatice...

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial