Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sexta-feira, setembro 29

No tram amarelo

Budapeste está cheia de eléctricos, trams como são conhecidos. Um deles rumava a grande velocidade, pelo meio da avenida sem fim, rumo a Buda, do outro lado do verde Danúbio. Uma mecha de cabelos loiros destacava-se por entre os passageiros, quase todos locais, húngaros, com os olhos claros. As linhas douradas esvoaçavam ao sol, brilhando, ecoando os raios quentes, escapando-se ao controlo de um lenço púrpura. Nunca mais a vi, mas por certo a rapariga dos cabelos doirados continua a encantar quem visita Budapeste.

1 Comentários:

Às 5:00 da tarde , Blogger aml disse...

Só te tenho a informar k n sou a rapariga dos cabelos loiros!lol A minha visita à famosa Paris de Leste teve de ser adiada por motivos k me foram alheios.. :(

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial