Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, setembro 24

Metálico

Hoje a chuva escorreu pelo meu rosto, violenta como uma lâmina afiada. Um raio atingiu-me e percorreu-me, enchendo-me de vida e de luz. O trovão ecoou pelo tempo dos tempos e um tufão engoliu-me e empurrou-me para a praia das ondas mecânicas de ferro, de rodas dentadas e de parafusos, num lento vai-vem imparável de inquietude.

1 Comentários:

Às 12:59 da manhã , Blogger aml disse...

Bemmm vc está muito metálico... Na vida tudo muda... e há sp uma luz k nos conduz! Nunca desistas da encontrar e de segui-la... *baci*

PS- Tens andado sumido dos meus posts! ='(

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial