Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, fevereiro 10

Os espertinhos

Há umas semanas assisti a uma conferência sobre marketing digital e os desafios dos media em relação às novas plataformas e tecnologias. Sala cheia de cabeças pensantes e de gente que manda e decide no negócio. A moderadora era a jornalista Helena Garrido, directora do Negócios, que perante alguns desvios Zeinal Bavianos (os players, o core business e outras expressões pretensiosas do inglês) resolveu pôr os pontos nos is e dizer que ‘no tempo em que eu nasci os jornais chamavam-se jornais’. Logo um coro de meninos novos munidos de iPads e outros brinquedos abanou a cabeça e troçou da suposta bota-de-elástico. Esta nova geração até pode saber muito, mas respeito e tolerância parecem mesmo ser coisas do passado.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial