Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sábado, dezembro 29

Os fossos de mim

Ser simpático ou interessante deve ser o pior elogio que nos podem colar. Porque aquele que é simpático ou interessante é aquele de quem nada se sabe, e que assim recebe um título neutro. E porquê? Porque cava uma distância tão grande e coloca limites tão sólidos aos intrusos (que são aqueles que não se conhece) que desta forma não permite a partilha. É complicado, é simples? É divertido? É prático, é sonhador, é teimoso? Não se sabe, é simpático e interessante. Apelidos neutros, para o bem e para o mal.

Conversas de carro às 7 da manhã.

4 Comentários:

Às 4:11 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Ser simpático ou interessante não tem nada de mal, nem de prejurativo.
Quem te disse que essa distancia que se cava (não é bem essa a expressão, mas sim que se cria) não é uma opção?
Nem sempre se tem uma predisposição para tal, por vezes nem sempre queremos que nos conheçam, nem sempre nos queremos mostrar. Será uma defesa? São realmente intrusos, a quem nada tem que se mostrar? Talvez…
Acredito que somos capazes de conhecer porque temos essa capacidade, que nem sempre o que se mostra e real e consegui-mos ver o que realmente existe para alem do que nos é mostrado.
Acredito que tudo até ao mais ínfimo detalhe nos da a conhecer o que por vezes se esconde. Como costumo dizer, por vezes o parado e aparente morto pode falar falar falar sem o saber. Acredito porque o sinto.

 
Às 4:12 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Ser simpático ou interessante não tem nada de mal, nem de prejurativo.
Quem te disse que essa distancia que se cava (não é bem essa a expressão, mas sim que se cria) não é uma opção?
Nem sempre se tem uma predisposição para tal, por vezes nem sempre queremos que nos conheçam, nem sempre nos queremos mostrar. Será uma defesa? São realmente intrusos, a quem nada tem que se mostrar? Talvez…
Acredito que somos capazes de conhecer porque temos essa capacidade, que nem sempre o que se mostra e real e consegui-mos ver o que realmente existe para alem do que nos é mostrado.
Acredito que tudo até ao mais ínfimo detalhe nos da a conhecer o que por vezes se esconde. Como costumo dizer, por vezes o parado e aparente morto pode falar falar falar sem o saber. Acredito porque o sinto.

 
Às 12:16 da tarde , Anonymous Princezinha disse...

Passei para te desejar um excelente 2008, repleto de sucessos!! Beijinhos da Princezinha

 
Às 11:58 da manhã , Blogger Deeper disse...

Por acaso acho que dizer que uma pessoa é interessante é o melhor elogio que lhe podem fazer. Gosto de olhar para homens bonitos, de folhear os seus rostos nas capas das revistas, observá-los um pouco como peças em museus. Para casa prefiro levar um homem interessante, que me vá conquistando com outras coisas bem mais importantes do que a montra.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial