Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sábado, novembro 24

Back to basic (s)

Somos avaliados até ao final da faculdade. Melhor, somos avaliados até ao final da vida, mas aí com outros professores e outros critérios dos quais nunca saberemos a razão.
Mas na Universidade, ou até ao final do curso e a partir dos seis anos, somos medidos, auscultados, verificados, com tabelas, perguntas, exercícios e um leque vário de outras possibilidades.
Somos lançados ao mundo do trabalho e a avaliação periódica e sistemática termina. Ou pelo menos não é assim tão clara. Já não vamos «ver as notas» nem preenchemos uma ficha de auto-avaliação. Ficamos portanto perdidos entre o que pensamos, entre a opinião dos nossos colegas, aqueles que gostam de nós e aqueles que não gostam, e a tabela sempre cinzenta de quem manda, ou devia fazê-lo, mas que muitas vezes também não tem quem o avalie.
Pode pensar-se que o final da avaliação periódica da Educação e do Ensino é um atestado de maioridade e de liberdade. No entanto, longe daquele que acha que sabe tudo e pode ser, por si só, o seu próprio avaliador.
Apetece-me voltar à escola.

4 Comentários:

Às 12:12 da manhã , Anonymous www.titerada.blogspot.com disse...

Pedrinho, Pedrinho, é com muita sudade que lembro os meus tempos de escola (diga-se bem mais exigentes do que agora - na altura chumbava-se, hoje não!!!).
Não tinha responsabilidades. Não tinha de trabalhar. Casa para pagar, Família para sustentar. Só me preocupava em jogar à bola, olhar para as miúdas e pouco mais. Estudar, só poucas horas antes dos testes, e chegava bem.
Agora tudo é bem diferente dessa vida despreocupada que levava, infelizmente.
Também quero voltar à escola, de preferência à 1. classe. Se soubesse o que sei hoje...

eheheheehe

 
Às 12:13 da manhã , Anonymous www.titerada.blogspot.com disse...

Esta marmelada de vc ter de aprovar os comentários tem de acabar!!!!

 
Às 3:02 da tarde , Blogger Elforadiante disse...

Olá Tigre, então e quando somos avaliados pelo mais severo dos juizes que somos nós próprios?

Volta, amigo, volta para a escola da vida e não deixes que sejam os outros a avaliar-te.

Um abraço.

 
Às 8:39 da tarde , Blogger Dad disse...

Más ahora es el tiempo del trabajo...

Beijinhosssssssss

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial