Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, novembro 21

Sofia, Marcos, Paulo, Miguel, Pedro

No outro dia, ainda noite porque eram sete e meia da manhã, estávamos cinco papagaios na régie a emitir o porta-aviões da estação. Eu, o mais novo, juntamente com o resto cujo mais velho pouco passou dos trinta. Éramos (e somos) uma cambada de miúdos que em jeito de brincadeira vai levando o barco a bom porto.

1 Comentários:

Às 7:12 da tarde , Blogger Deeper disse...

E quando as gatas pingadas são só três, quase duas, com um barco do tamanho de um navio, onde se sentem formigas?

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial