Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, outubro 23

Seguindo em frente, enviesado

Continuamos sempre numa comédia triste de enganos. O que nos parecia dourado num dia no dia a seguir é um punhado de cinzas. Mudámos nós? Mudou o que nos parecia brilhante? Mudou a perspectiva? O percurso continua acidentado, normalmente para subtrair e nunca para acrescentar. Dores de crescimento até ao final dos dias.

1 Comentários:

Às 6:07 da tarde , Blogger XAyiDe disse...

Niguém disse que era fácil crescer...Infelizmente as desilusões fazem parte do nosso dia-a-dia e são tão essenciais como fisiológicas... Meu querido, lembra-te que às vezes é preciso retroceder para poder avançar, às vezes é preciso desconfiar para voltar a confiar... Finalmente, às vezes é preciso desconstruir para construir amizades, amores e boas ilusões... Acho que todos nós gostaríamos de não ter que ver coelhos tresmalhados a sair de cartolas que outrora brilharam...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial