Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sexta-feira, setembro 2

Meus lindos olhos

Meus lindos olhos, qual pequeno Deus
Pois são divinos, de tão belos os teus.
Quem tos pintou, com tal feição
Jamais neles sonhou criar tanta imensidão.

De oiro celeste,
Filhos de uma chama agreste
Astros que o alto céu revestem
E onde a tua história é escrita.

Meus lindos olhos, de lua cheia
Um esquecido do outro, a brilhar p’rá rua inteira.
Quem não conhece teu triste fado
Não desvenda em teu riso um chorar tão magoado.

Perdões perdidos
Num murmúrio desolado
Quando o réu morava ao lado
Mais cruel não pode ser.

Este fado que aqui canto
Inspirou-se só em ti
Tu que nasces e renasces
Sempre que algo morre em ti

Quem me dera poder cantar
Horas, dias, tão sem fim
Quando pedes só para mim
Por favor só mais um fado.

Meus Lindos Olhos (à Memória de Zé Nunes), com letra de Mafalda Arnauth,
in Mafalda Arnauth, de Mafalda Arnauth

4 Comentários:

Às 12:02 da tarde , Blogger Dad disse...

Bonitos olhos, sim...

 
Às 5:08 da tarde , Anonymous claudia disse...

Tens razão! lindos olhos os teus
:-)
beijos, espero que esteja tudo bem contigo.

 
Às 11:29 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

 
Às 3:53 da tarde , Blogger Frederica disse...

Obrigada por desencantares esta letra. É o fado preferido da minha melhor amiga e agora, também um dos meus. Copiei-o para o meu blog para que ela o pudesse ler.
Até a próxima!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial