Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, agosto 28

Pensamentos do dia II

E falo de novo dos fogos... Principalmente depois de uma semana com os incêndios à porta de casa, a poucos km's, bem visíveis. Noites iluminadas por paredes de chamas, mil objectos invadidos por faúlhas e cinzas, muito fumo e muito desespero, sirenes a alarmar a noite.

Mas como evitar a propagação dos incêndios se as populações não mantêm limpas as suas propriedades? Arbustos e vegetação rasteira são um convite veloz para o avanço das chamas, que caso contrário seriam mais facilmente controladas. Criem-se cooperativas e associações comunitárias para limpeza dos campos em cada concelho. Obriguem-se as populações a fazê-lo, e por quem não o fizer que o façam os órgãos de governo, que depois cobrariam o serviço ou legalmente apossarse-iam do terreno.

Num destes dias de maior aflição fui à corporação de bombeiros da vila. Para espanto e indignação estavam apenas três pessoas para o serviço dessa noite. O comandante bem se queixava: «Como é possível as pessoas irem de férias nesta altura...»

As televisões continuam a abusar e a explorar o assunto incêndios de forma mais que sensacionalista. Quando pensávamos que os máximos da devassa haviam sido atingidos com as tragédias de 2003 temos em 2005 RTP, SIC e TVI no seu pior. Salta do fogo A para o fogo B, apanha a histeria nervosa da senhora Maria em grande plano, faz zoom in das lágrimas envergonhadas do senhor Manuel. E com isto gastam-se mais de 30 minutos de um telejornal. Mesmo num destes dias, em que os incêndios acalmaram e não lavravam o país, a SIC cometeu a proeza de dedicar os 20 minutos iniciais ao tema... e como objecto narcísico emitindo uma reportagem em que um repórter num inglês macarrónico entrava em directo com um canal inglês. O básico descritivo dito em português é já sofrível, apenas podendo piorar quando transformado em inglês... E como é possível fazer um telejornal com quase dez directos (que são uma opção caríssima) sobre NADA, sobre literalmente NADA. As televisões nacionais também elas não cresceram...

2 Comentários:

Às 8:57 da tarde , Blogger Heliocoptero disse...

Já perdi a conta aos estudantes estrangeiros e suecos que, mal sabem que eu sou de Portugal, perguntam-me logo pelos incêndios...já era uma vergonha nacional, agora ainda o acho mais... :/

 
Às 10:53 da manhã , Blogger Dad disse...

O país está todo queimado, por todos os lados, menos por um chamado ESPERANÇA!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial