Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, novembro 2

Viver para contá-la II

«Às vezes encontrava – sempre um homem – e ficávamos até depois da meia-noite nalguma pocilga de má morte, a acabar as beatas dos cigarros que nós próprios tínhamos fumado e a falar de poesia enquanto no resto do mundo a humanidade inteira fazia amor.»

Gabito (Gabriel García Marquéz)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial