Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quinta-feira, outubro 9

Rostos

Num fim-de-semana familiar na casa do pinhal demos de caras com uma prima antiga. «És igualzinho ao teu bisavô Alfredo», diz a senhora, que nunca me tinha visto antes.

A família é o mais marcante que temos.

2 Comentários:

Às 9:05 da manhã , Anonymous Sofia Covas disse...

Sentem-se as raízes, de repente torna-se claro para nós de onde viemos!... E o melhor de tudo isso é quando quem fala contigo, mesmo não te conhecendo, tem os olhos a brilhar.

:)

 
Às 8:45 da tarde , Blogger Deeper disse...

A genética também me fascina. Um dia espero olhar para os meus filhos e continuar a sentir essa magia!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial