Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

segunda-feira, setembro 26

Teus Olhos

Tenho diante dos meus
Só os teus olhos, mais nada...

Há chama verde de estrelas,
Há lezírias outonais,
Pinceladas de aguarelas
Nos teus olhos verdes garços.
E há grãos de trigo estivais
Que hão de ser o pão doirado
Na minha fome de amar.

Há procelas e bonança
E résteas nuas de abrolhos
Nos teus olhos cor de esperança
Com longes de verde mar.
Prados e vales profundos
Espelham-se nos teus olhos
Com seus rios a cantar.

Nos teus olhos há dois mundos;
Nos meus... apenas os teus!
Os teus olhos são dois sóis
Que me trazem incendiada.
Teus olhos são labaredas
De noite acendem faróis
Na minha rota apagada.

Tenho diante dos meus
Só os teus olhos, mais nada!...

Teus Olhos, com letra de Maria Pimentel Montenegro,
in Senhora da Lapa, de Maria Ana Bobone

2 Comentários:

Às 9:45 da tarde , Blogger Luz Dourada disse...

Gostei do poema! Bjs

 
Às 3:19 da tarde , Blogger Marco disse...

A TMN copiou as cores do meu blog!!!
:-O

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial