Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, novembro 12

Viver para contá-la III

«A noite tornara-se diáfana e fresca sob a lua cheia e o silêncio parecia uma substância invisível que se podia respirar como o ar. Compreendi então o que tanto nos contava o meu pai sem que o acreditássemos, que ensaiava o violino de madrugada no silêncio do cemitério para sentir que as suas valsas de amor podiam ser ouvidas em todo o espaço do Caribe.»

Gabito (Gabriel García Marquéz)

1 Comentários:

Às 12:31 da tarde , Blogger illatonero disse...

e pronto.
(re)estreio-me no teu blog com novo nome, novo blog, e com Gabriel Garcia Marques... em grande portanto!

Beijinhos Pedrinho!!

L.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial