Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quinta-feira, maio 3

Conselhos de amigos

A Inês acha que eu giro muito e ando sempre do lado para o outro, que conheço muitas pessoas e que falo sobre mil e uma coisas diferentes, e é por isso então que tenho pouca paciência e não me consigo focalizar. Mais uma vez, a Inês tem razão.

O Ricardo diz que não podemos esperar que seja pelos outros a nossa felicidade. Ou seja, a nossa felicidade é demasiado preciosa para estar nas mãos de alguém. O Ricardo também tem razão.

3 Comentários:

Às 10:29 da manhã , Blogger Rita disse...

tenho q discordar. e ja t expliquei pq. beijo

 
Às 11:17 da tarde , Blogger Heliocoptero disse...

Não sei se a Inês tem razão, mas o Ricardo disse uma coisa muito acertada. Muito mesmo!

 
Às 12:49 da tarde , Blogger Deeper disse...

Eu infelizmente também tenho opinião sobre isso(achamos sempre que a podemos dar sobre a vida dos outros, mesmo sem conhecer todo o contexto).
Acho que és uma pessoa extraordinária, e que, quando te encontrares, vais mesmo fazer alguém muito, muito feliz. Tens todas as qualidades necessárias para isso. Só precisas de te encontrar, como eu.
O processo de busca é que nem sempre é muito pacífico, o que nos pode angustiar muitas vezes. No entanto, acredito que as respostas virão no tempo certo, quando estivermos dispostos a aceitá-las!
Um beijo muito grande

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial