Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

segunda-feira, fevereiro 6

Uma sessão diferente

Na sexta-feira passada, num dos meus míticos atrasos, lá não cheguei a horas ao cinema marcado com os amigos. Sendo assim já não havia bilhetes para a sessão à qual todos iam, «Munique». Como tenho King Card não pensei duas vezes: vou ver outro filme, tendo optado pelo «SAW2 – a experiência do medo».

Ir sozinho ao cinema, pensei eu depois já com o bilhete na mão? Ora aí está algo que nunca me tinha acontecido. Com quem comentar o filme? Será que toda a gente vai olhar com o pensamento «coitadinho, ninguém quer ir com ele ao cinema na sexta à noite»? Que pessoa estranha, que vem ver um filme destes sozinho… Será psicopata?»

O que sei é que aproveitei para estudar as reacções das pessoas quando estão numa sala de cinema. Há a inesgotável tosse, o barulho incómodo das pipocas, os risinhos nervosos nas cenas mais fortes, aqueles que conversam para o lado mas que fazem questão que toda a sala ouça, os telemóveis com painel gigante que iluminam tudo à sua volta.

Acabou por não ser uma má experiência, mas cinema? Prefiro com companhia.

2 Comentários:

Às 9:54 da tarde , Blogger aml disse...

N me faz confusão nenhuma ir ao cinema sozinha, mas prefiro fazê-lo à tarde...se tiver companhia tanto melhor, mas sen tiver vou na mm =) By the way, há algum tempo k n o faço (it's a good sign, i think! ou n!?)

 
Às 11:20 da manhã , Blogger Luisa Seabra disse...

Olá Pedro!!!Sozinho ver o Saw II???
pois acho q vai ser esse o meu destino...sou viciada em filmes de terror, e vi o primeiro Saw, q é de um terror psicológico brutal, e como achei óptimo, queria ver o segundo....mas os meus amigos são todos uns medrosos, e ninguém quer ir, chuiff!!!!
beijinhos!!!

ah, e visita o oquetequero!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial