Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, outubro 4

Os olhos do meu primo

Numa visita à chamada «terra» encontrei o meu primo, um homem de quase oitenta anos.

Muito lúcido, verdadeiro contador de estórias, brilhante comunicador, nos seus olhos vivos podemos ver toda uma vida recheada de sabedoria e conhecimento.

Os olhos do meu primo têm muito para contar. Basta estarmos atentos e dispostos a ouvir.

É preciso entender que os mais velhos têm muito para nos ensinar, e nós, jovens, ainda mais a aprender. No entanto, é também preciso que esses mais velhos tenham em conta os jovens e os respeitem, não os desdenhando, como cada vez mais acontece. O fosso entre gerações alarga-se e aprofunda-se. E está nas mãos de todos alterar o curso dos acontecimentos.

1 Comentários:

Às 9:55 da tarde , Blogger Luz Dourada disse...

A história escreve-se através dos contadores. Há muito que se deixou de ouvir os velhos. Só as civilizações ainda não corrompidas é que consideram sábios os velhos; na nossa são farrapos, a maior parte das vezes incómodos para a família...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial