Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, julho 14

«Os Anões»

« - Tu não fechas os olhos.
Não – disse ela.
- Porque não?
- Quero ver-te.
- Porquê?
- Porque gosto de ti.»

Harold Pinter

1 Comentários:

Às 12:28 da manhã , Blogger LMLisbon disse...

José Gil, extractos de uma entrevista à Pública: "...A transformação de nós próprios é uma riqueza fundamental em nós. Há um frase do Kafka que adoro: desgraçado daquele que perdeu o poder de se transformar. Nós é que não olhamos, julgamos que somos sempre os mesmos. É uma maneira de viver socialmente sem tumultos. Mas numa escala microscópica, estamos sempre a ser outros (emocionalmente, do ponto de vista da inteligência...) Com tudo isto, há qualquer coisa que tem de se manter; senão há o perigo de psicose. É a identidade"...

Não sei porque te quis escrever isto...mas apeteceu-me...espero q estejas a gozar esse algarve...;-)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial