Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, julho 4

Para quê...

O regresso ao local do crime, porquê? Para quê reviver tudo? Para quê fazer as mesmas perguntas, se sabemos que não têm respostas? Para quê passar pela mesma incompreensão outra vez?

E saber que já não faz sentido isto, mas depois começar de novo a duvidar, com mais uma acha na fogueira.

O vento

Voe por todo mar e volte aqui
Voe por todo mar e volte aqui
Pro meu peito...

Se você for, vou te esperar
Com o pensamento que só fica em você

Aquele dia, um algo mais
Algo que eu não poderia prever
Você passou perto de mim
Sem que eu pudesse entender
Levou os meus sentidos todos pra você

Mudou a minha vida e mais
Pedi ao vento pra trazer você aqui
Morando nos meus sonhos e na minha memória
Pedi ao vento pra trazer você pra mim

Vento traz você de novo
O Vento faz do meu mundo um novo
E voe por todo o mar e volte aqui
E voe por todo o mar e volte aqui
Pro meu peito...

Jota Quest

1 Comentários:

Às 4:40 da tarde , Blogger LMLisbon disse...

http://www.huffingtonpost.com/tom-ferry/are-you-addicted-to-worry_b_638682.html?utm_campaign=070810&utm_medium=email&utm_source=Alert-living&utm_content=FullStory

e já chega de te dar atenção! ;-)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial