Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, dezembro 3

«100 regras para ter sucesso»

O livro que me estendeste chamava-se qualquer coisa como «100 regras para ter sucesso» ou algo muito parecido.

«- Isso é para ti, que és muito norte-americano» - saíu-me, mais ou menos sem pensar. SEmpre me considerei muito europeu, em tudo, e acho que sempre vai ser assim. Já explicar exactamente o que é ser europeu é mais complicado. É talvez observar algo tipicamente norte-americano, com as receitas para o êxito, e saber logo que aquilo não é para mim nem para um tradicional europeu. É não achar que tudo o que vem do outro lado do Atlântico é bom, como o mago da informática, o génio da gestão, a varinha mágica da Economia ou o sacrossanto do Obama.

1 Comentários:

Às 4:22 da tarde , Anonymous yxis disse...

O "que é ser europeu" é o que mais os europeístas procuram. Eu acho que é apenas ter mais história que os outros. Mas continuamos à procura.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial