Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, março 16

Regredimos?

Estamos no século XXI mas parece que nos estamos a esquecer dos direitos sociais do trabalhador conquistados a muito custo no século XX.

«Eu faço o que me mandarem», ouve-se cada vez mais. Não se questiona a razão, não se tenta pensar em alternativas, faz-se sem discussão, por mais absurdo, sem nexo ou injusto que possa parecer.

«Se for preciso abdico das férias nesta altura». Mais um flanco que se abre à entidade patronal, que vê a questão resolvida na altura e não pensa mais sobre o assunto.

«Não há ninguém para fazer? Foram-se embora três pessoas? Não faz mal, colocam-se estagiários». E o ciclo continua. Os poderosos engordam mais um pouco, os «dowstairs» apertam mais o cinto e em vez de trabalharem por dois fazem-no por três.

Assim continua o circo do mundo do trabalho do novo século, porque nós deixamos, não nos queixamos nem fazemos ondas, e porque os «upstairs» não perdem um minuto com aquilo que não os rodeia.

2 Comentários:

Às 5:35 da manhã , Blogger Bruno Henriques da Silva disse...

Parece-me que sim, estamos a voltar muito para trás e ninguém tem coragem de lutar para travar este rolo-compressor.

Há medo! «É melhor não!»

 
Às 10:03 da tarde , Blogger João Dias disse...

Parece que uma cultura de jovialidade festiva mas/e alienada está agora a dar "frutos" no mundo do trabalho. Os principais resistentes às injustiças são os que já deviam estar cansados dessa luta...

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial