Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, fevereiro 19

Estados

O ser humano é de facto uma criatura fantástica e misteriosa. De um momento para o outro é capaz de criar capas e construir mantas que o ajudam a proteger-se do que o rodeia. É como se não sentisse, não ouvisse ou não observasse, mesmo estando lá, no habitat de todos os dias, é como se não sentisse os problemas e os obstáculos, como se saltasse entre nuvens e passasse entre as gotas da chuva. Tornando-se insensível ao que se passa ao lado, de forma a ultrapassar uma fase menos boa, apenas preocupado com o destino no final da ponte de cordas. Ignorando os alçapões, as lianas enlaçadas, os buracos, as covas, os poços de ar e todas as coisas que fazem mal.

De um momento para o outro de buraco negro a estado zen, sem meia estação.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial