Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, fevereiro 5

O ciclo continua

A régie estava às escuras, como sempre àquela hora. Apenas a luz do computador e os sinais vermelhos dos telefones. Entras para despedir-te. Até quando não sabemos. Digo-te as palavras de circunstância, que apesar de o serem são verdadeiras e sentidas. Que espero que tenhas aprendido alguma coisa. Que não desistas. Que é sempre injusto. Que passou a correr. E que contes comigo.

Mais uma estagiária que passou por nós e que vai embora. Desta vez foste tu, Daniela. Algumas antes de ti, mais estão para chegar. A escravatura dos tempos modernos continua. E o mais grave é que todos parece que a aceitamos como algo normal.

1 Comentários:

Às 7:32 da tarde , Anonymous Anónimo disse...

Lamentável, nem sabia que a Daniela já tinha ido embora. Nem disse nada. Nem se despediu!!!

Tens toda a razão pedrinho. As pessoas estagiam, mas saiem daqui quase na mesma. Não aprendem nada. Isto não são estágios.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial