Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quarta-feira, julho 4

Raízes verdes

O Jardim da Estrela está cheio de árvores, como um verdadeiro jardim deve ser. Diferentes, exóticas, clássicas, gigantes. Gosto de me sentar nas raízes de algumas delas, de uma imensidão que parece não ter fim, como se fosse abraçado e embalado pelos seus braços. Por vezes dá vontade de fechar os olhos e aí ficar, protegido pela Natureza, até que os anos passem e a árvore e eu nos tornemos apenas num corpo.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial