Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

segunda-feira, março 19

Vontades

Hoje não me apetece.
Hoje não me apetece falar, hoje não me apetece olhar, hoje apetece-me pausar. Indefinidamente. Hoje apetece-me que o vento que invade as ruas da cidade me leve. Para longe. Sem destino. Sem término.

Hoje apetece-me ouvir cello enquanto atravesso o Tejo no carro da Patita. Hoje apetece-me acelerar pela cidade de madrugada, as ruas vazias, a música ensurdecedoramente alta, os quatros vidros abertos em quatro tufões.

Hoje apetece-me.


Hoje não me apetece.

Só hoje?

3 Comentários:

Às 6:36 da tarde , Anonymous Bruno Coelho disse...

Há sempre fé que o dia de amanhã seja mais sorridente...e melhor que isso, que nós próprios consigamos sorri-lhe!

;)

 
Às 12:34 da manhã , Blogger aml disse...

E amanhã!?!

 
Às 2:33 da tarde , Blogger py disse...

Isso é da Primavera! :)

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial