Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, novembro 7

Coisas de miúdos

Quando era pequeno tinha sempre dois sonhos iguais, recorrentes, que durante anos me assaltaram o sono. Não eram apenas sonhos, eram sonhos maus, pesadelos mesmo. De tanto os ter já não me preocupava tanto, mas o medo estava lá sempre.

Um deles metia uma bruxa, uma praia com rochas e a minha escola. Todos os dias, sempre soalheiros, ia eu a caminho do colégio, que era a três minutos de casa, quando, de repente, a rua e o jardim davam lugar a umas escadinhas íngremes feitas de seixos e conchas que davam acesso a uma praia deserta, dominada por grandes rochas. Era a praia onde passava férias todos os anos. A escola ficava do outro lado. Para lá chegar tinha de atravessar a areia. Mas mal eu descia o último degrau uma bruxa mecânica com os olhos a piscarem luzes roxas aparecia e não me deixava passar. Essa bruxa era igual a um presente que me deram e que ainda hoje guardo noutra casa. Durante minutos jogávamos o jogo do toca e foge, comigo a pôr o pé na areia e ela a aparecer, comigo a recuar e a ela a desaparecer. Passado um bom bocado ganhava coragem e lá seguia. Resultado: era sempre comido pela bruxa, que me engolia com os seus sons metálicos.

O outro sonho não acabava com a minha morte. No meu quarto tinha, e ainda tenho, um armário de parede com tabuinhas brancas. A meio da noite, quando espreitava para fora dos lençóis, via-me a ser trucidado pelas tabuinhas, a passar que nem plasticina entre elas e, quando chegava à última, rente ao chão, caía por um abismo igual ao poço da Alice no País das Maravilhas, aterrando na minha cama.

Uff, já passou.

2 Comentários:

Às 4:28 da tarde , Blogger Dad disse...

Essa dos sonhos maus é obra! A mim acontecia-me o mesmo. Era horrível! Ainda hoje, às vezes tenho disso.

No entanto a vida encarrega-se de nos mostrar muitas vezes, que passamos acordados por coisas piores que esses sonhos "estranhos"... quem sabe???
um vislumbre, uma passagem para outras dimensões que, sendo outras...nem sempre são boas. Outras super maravilhosas e acordamos em completa PAZ!

Beijinhossss

 
Às 10:22 da tarde , Blogger Dark Moon disse...

Todos nós temos os nossos pessadelos, eu ainda hoje continua a ter os meus pessadelos...

Bons sonhos,
Dark Moon

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial