Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

quinta-feira, junho 15

Lição de vida

Não é apenas nos grandes momentos que nos revelamos nem nos episódios mais cinematográficos da nossa vida que nos mostramos. Tudo o que somos, tudo o que dizemos e fazemos constrói a imagem que os outros têm de nós. Se tivermos isto em linha de conta talvez possamos perceber determinadas reacções, aceitar as derrotas com compreensão e viver as surpresas com ainda mais alegria e orgulho.

3 Comentários:

Às 2:48 da tarde , Anonymous Mario disse...

Na minha opinião não existem "derrotas" nem "vitórias", mas sim fases da vida que devemos saber viver e aproveitar para o futuro.
Mário

 
Às 3:52 da manhã , Blogger BolachaMaria disse...

O que podes pensar de mim? Pergunta aos que me adoram e aos que odeiam, e procura onde está o meio termo, ou a virtude como o chama Aristóteles
;)

 
Às 8:38 da tarde , Blogger Thinker disse...

Sem dúvida! É mesmo isso.. E também por isso, por ser aquilo que mostramos de nós e não apenas o que somos, que determinadas pessoas que passamn na nossa vida em momentos distintos criam laços distintos, intensidades diferentes...Há sempre bons e maus momentos, boas e más impressões, o verdadeiro "Eu" revela-se com o tempo, com a vida! Gostei do teu blog! Um abraço :)

Se quiseres passa pelo meu e deixa o teu testemunho.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial