Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sexta-feira, março 31

Viver para perceber

«A vida não é a que cada um viveu, mas a que recorda e como a recorda para contá-la».

Assim é a casa de partida de «Viver para contá-la», de Gabriel García Marquez.

Mas por muito que nos conte não vamos compreender. É preciso viver para perceber, porque viver através da experiência dos outros, por meio das palavras que os outros nos contam, não atinge um ínfima parte do que é a Vida.

1 Comentários:

Às 10:16 da manhã , Blogger Elfo disse...

Mas Pablo Neruda dizia:"Confesso que vivi"

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial