Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

sexta-feira, março 6

Na esteira

Todos os dias, de manhã bem cedo, a caminho do trabalho, um senhor igual a tantos outros, sem nada que o distinga de ninguém, está na beira da via rápida, faça chuva faça sol, calor ou frio. O que faz ali não sei. Ninguém espera uma boleia numa estrada em que os carros passam a correr e não podem parar. Para observar o trânsito também me parecem haver sítios mais agradáveis. E para passar o tempo há também coisas melhores para fazer, nem que seja contar carneirinhos.

E é assim, todos os dias, que por uns minutos penso na vida deste senhor, que sem eira nem beira está na beira da estrada.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial