Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

terça-feira, março 7

O Outão

Vai voltar a co-incineração. Os estudos estão feitos, mais que feitos, e as conclusões são as mesmas: Souselas e Outão. Pegando mas palavras de Miguel Sousa Tavares, qual a razão pela qual, em Portugal, quando os estudos técnicos não resultam nas conclusões que eram esperadas/desejadas, já não são válidos? Por alguma razão são estudos técnicos, elaborados por profissionais que sabem muito mais que o cidadão médio. Se não lhes fosse dado qualquer crédito, aos técnicos entenda-se, qualquer um de nós poderia fazer um estudo sobre o melhor local para a co-incineração, a melhor localização do novo aeroporto de Lisboa ou o melhor traçado para o TGV…

Levanta-se no entanto outra questão: o Outão. O erro do Outão prende-se com o facto de termos uma cimenteira em pelo Parque Natural da Arrábida, que esventra a serra e destrói aquele património natural, e não no facto de aí podermos proceder à co-incineração. Por isso, em vez de se lutar contra a co-incineração, lute-se contra o crime ecológico que há décadas envenena a serra.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial