Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, julho 17

De consciência limpa mas de bolsos vazios

Na edição da semana passada do Expresso, o sociólogo Boaventura Sousa Santos falava, em entrevista, da necessidade de uma mudança de paradigma, tendo em conta que nos nossos dias as pessoas aceitam toda e qualquer situação laboral. Por fazer parte dos que não aceitam tudo e dos que se vergam à força injusta e injustificada de quem está acima, apenas e só por isso, por não ser dos que acham todos os abusos normais e que sacrificam vidas inteiras a uma causa supostamente maior, talvez por isso tudo ainda esteja no limbo, à entrada da trintena. De consciência limpa mas de bolsos vazios. Bem comigo mas mal com alguns outros. A vida é feita de escolhas, ensina-nos a Economia, e é por aí que tenho trilhado um espinhoso caminho. Mas com o sorriso de sempre.

1 Comentários:

Às 1:06 da manhã , Blogger nuska disse...

já dizia a música do José Mário Branco: "que força é essa amigo que te põe de bem com os outros e de mal contigo?".

Beijo

Ana Tomás

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial