Tigre da Tasmânia

«Eu escrevo como se fosse salvar a vida de alguém. Provavelmente a minha própria vida» C. Lispector

domingo, agosto 31

Ontem o tempo parou

Ontem o tempo parou.

Ontem o tempo parou às nove da noite.

Ontem o tempo parou não sei por quanto tempo.

Ontem o tempo parou numa lagoa de água salgada.

Ontem o tempo parou à beira do mar.

Ontem o tempo parou e eu parei com ele.

sábado, agosto 30

Os três sacanas

Mudaram-me de posição. Outra vez. Volto para o que não quero e não gosto. Eles sabem e eu faço questão de o dizer e mostrar. Mais uma vez não me perguntaram. Nunca perguntam e sempre impõem. Sempre. Estou triste, cansado, farto, contrariado. Estamos todos.

Para quando o rombo final? Ou então a saída pela escotilha.

Mas justiça ser-vos-á feita.

Sophia

Minutos antes do noticiário.

- Tens um ar tão tranquilo!

E se calhar de tonto. Até que ponto o ar de Mr nice guy me ajuda?

sexta-feira, agosto 29

Há um ano

- Não fumes.

- Porquê?

- Porque ainda estou a pensar em beijar-te...

E ela acendeu o cigarro.

terça-feira, agosto 26

Frescos do final de tarde

As gaivotas hoje juntaram-se em linha junto ao mar para dizer até amanhã ao sol. E nem se mexeram quando me sentei ao lado delas.

O assobio das árvores

O vento no campo tem outro idioma. Tenho de estar mais atento ao que ele diz.

domingo, agosto 24

Viva la Vida

I used to rule the world
Seas would rise when I gave the word
Now in the morning I sleep alone
Sweep the streets I used to own

I used to roll the dice
Feel the fear in my enemies eyes
Listen as the crowd would sing:
"Now the old king is dead! Long live the king!"

One minute I held the key
Next the walls were closed on me
And I discovered that my castles stand
Upon pillars of salt, and pillars of sand

I hear Jerusalem bells are ringing
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
Once you know there was never, never an honest word
That was when I ruled the world
(Ohhh)

It was the wicked and wild wind
Blew down the doors to let me in.
Shattered windows and the sound of drums
People could not believe what I'd become
Revolutionaries Wait
For my head on a silver plate
Just a puppet on a lonely string
Oh who would ever want to be king?

I hear Jerusalem bells are ringing
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
I know Saint Peter won't call my name
Never an honest word
And that was when I ruled the world
(Ohhhhh Ohhh Ohhh)

Hear Jerusalem bells are ringings
Roman Cavalry choirs are singing
Be my mirror my sword and shield
My missionaries in a foreign field
For some reason I can not explain
I know Saint Peter will call my name
Never an honest word
But that was when I ruled the world
Oooooh Oooooh Oooooh

quarta-feira, agosto 20

Arrábida

Um mergulho do meio do mar.

E sou feliz

terça-feira, agosto 19

Apeteceu-me hoje

Love me tender,
Love me sweet,
Never let me go.
You have made my life complete,
And I love you so.

Love me tender,
Love me true,
All my dreams fulfilled.
For my darlin' I love you,
And I always will.

Love me tender,
Love me long,
Take me to your heart.
For it's there that I belong,
And we'll never part.

Love me tender,
Love me dear,
Tell me you are mine.
Il'l be yours through all the years,
'Till the end of time.

(when at last my dreams come true
Darling this I know
Happiness will follow you
Everywhere you go).

Diving under

O mergulho que sabe melhor é sempre o último da tarde... ou da noite.

E se?

Hoje a maré não parou de subir e ficámos sem praia.

E se a Lua não sair da frente do Sol no eclipse?

sexta-feira, agosto 15

Nos teus olhos vejo-me

E agora regresso do Porto Santo, Madeira. Uma semana fantástica. Pelo sítio, a Ilha Dourada, com areia amarela e tão fina que se entranha na pele e não sai. E com águas límpidas e transparentes, quentes a convidar o mergulho fácil. O silêncio do meio do oceano. A linha do horizonte a toda a volta. E os amigos. Os de há muitos anos. Os recentes e que subiram muitos degraus. E os feitos lá. Dois privilégios, que à sua maneira ensinaram-me coisas muito importantes. O início do novelo. O começo do esboço. A cumplicidade. O olhar que diz tudo. Os flics na praia. As estrelas cadentes que hão-de chegar. As histórias simples e complexas que começam por «Era um vez...». As danças malucas e os jogos loucos. A despedida difícil, cada vez mais difícil. E a tranquilidade nos olhos. Nos teus olhos.